Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Child with a cow in the kitchen

15.12.14

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Educação proíbida

10.12.14

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Escrita Criativa

28.11.14

"Apaguem a parte lógica do vosso cérebro, a que diz que um mais um são dois. Abram a mente à possibilidade de que um mais um possa ser 48, um Mercedes Benz, uma tarte de maça, um cavalo azul"

Natalie Goldberg

 

Tirado de um fantástico curso de escrita criativa da Escrever Escrever que estou a frequentar. Muitos parabéns à Conceição, é muito bom constatar que ainda existem formadores que não precisam powerpoint e manuais porque falam directo do coração.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Legolas

28.11.14

Legolas

Legolas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Orlando... 2017

20.11.14

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem conta um conto...

20.11.14

A menina de Olhão

por Bárbara V.

 

"Desde que nascera que dava para ver que havia qualquer coisa de diferente com aquela menina. Cabelo não tinha nenhum, mas tinha uns olhos tão grandes que mesmo que tivesse algum cabelo ninguém repararia nele. E logo nesse dia causou muitas discussões:

Mãe: “Com uns olhos tão grandes não pode ter saído ao meu lado da família.”
Pai: “Não comeces com essas coisas que nunca houve nada assim do meu lado!”
E claro, os vizinhos não tardaram em fazer piadinhas:
Vizinha do 2º direito: “Essa deve ser de Olhão.”
Vizinha do 3º esquerdo “Quando crescer ainda vai jogar para o Boavista.”
Vizinha do R/C onde era uma mercearia: “Aposto que a frase preferida dela vai ser: Grandes olhos te vejam.”

Os pais, coitados, não conseguiam esconder a tristeza de ter uma filha assim. E decidiram que pelo menos até ela ter idade para ir para a escola, ficaria fechada em casa, para ver se os vizinhos se esqueciam. Ou se a cabeça dela entretanto crescia e disfarçava o tamanho dos olhos.
E assim, a menina cresceu, mas os seus olhos cresceram com ela. O que conhecia do mundo era apenas pelo que via da janela do quarto. À noite, sempre que olhava para a lua cheia dizia para si mesma que devia ser o olho do céu. Mas como, por mais que olhasse nunca via o outro olho, pensava:

“Coitadinho do céu, é zarolho.”

Quando fez 6 anos a menina lá foi para a escola.
A professora sentou-a na última fila, porque não gostava de ter aqueles grandes olhos ali à frente. Assustavam-na.
No recreio todos os meninos gozavam com ela e diziam que dava para jogar à bola com um dos seus olhos, por serem tão grandes.

Com o passar dos anos aprendeu a esconder os seus grandes olhos, para dar menos nas vistas. Deixou crescer a franja quase até à ponta do nariz e usava-a sempre penteada para a frente. Aprendeu também a gostar de passear pela floresta, especialmente à noite, quando não havia ninguém para gozar com ela.

Fui num desses passeios que conheceu um mocho. Ficaram logo amigos. Pois foi o primeiro ser que a menina conheceu que não gozava com ela. Talvez por ser velho e já ter visto muita coisa, ou apenas porque tinha ele próprio uns olhos para o grandito.
Fosse o que fosse, tornaram-se inseparáveis. O mocho mudou-se para a árvore da janela do quarto dela e passavam as noites a conversar.
A menina contava-lhe como sabia sempre o que ia acontecer. Porque via as coisas antes de elas acontecerem. O mocho achou aquilo estranho e aconselhou-a a pedir aos pais para a levarem ao médico.

E foi numa consulta de oftalmologia que se fez uma descoberta fantástica:
A menina, com aqueles olhos gigantes, via muito mais longe que qualquer outra pessoa. Na verdade via tão longe, tão longe, que via o dia seguinte. E se se concentrasse muito via ainda mais para a frente que isso.

O oftalmologista, explicou então à mãe da menina como é que aquilo acontecia.
Ela via de facto muito bem e assim conseguia dar várias voltas à terra com a sua visão. Ora dando várias voltas à terra, acabava por já estar no dia seguinte quando via o que estava a acontecer.

Um belo dia, quando tinha 12 anos, conheceu um rapaz. Na verdade conheceu-o de véspera, porque conseguiu vê-lo chegar, ainda ele estava longe dali, mas ele só a conheceu naquele dia. A menina estava sentada à entrada de sua casa, a fazer bolinhas de sabão e o rapaz sentou-se ao lado dela.
Ficou silencioso por um tempo e depois disse:

“Tens esses olhos assim grandes para me ver melhor?”

A menina fez mais 3 bolas de sabão, olhou para ele e sorriu. Tinha sido a pergunta mais simpática que já lhe tinham feito sobre os seus olhos. E foi então que aconteceu o que ela já tinha visto no dia anterior: deu o seu primeiro beijo e desde esse dia nunca mais se separaram."

 

------------------------------------------------------------------------

 

Um projecto simples e delicioso. Se quiserem receber um conto por dia(para já por semana), só têm de subscrever aqui... http://quemcontaumconto.pt

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Legolas

18.11.14

Legolas

Legolas

Legolas

Legolas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

We Are All Confident Idiots

17.11.14

"In many cases, incompetence does not leave people disoriented, perplexed, or cautious. Instead, the incompetent are often blessed with an inappropriate confidence, buoyed by something that feels to them like knowledge.

(...)

Because it’s so easy to judge the idiocy of others, it may be sorely tempting to think this doesn’t apply to you. But the problem of unrecognized ignorance is one that visits us all."

 

Artigo completo...

http://www.psmag.com/navigation/health-and-behavior/confident-idiots-92793/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Hello B Ween

16.11.14

Helloween

Helloween

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Helloween

16.11.14

Helloween

Helloween

Helloween

Helloween

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Building time

14.11.14

Expo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Abraçar o Sol

13.11.14

Abraçar o Sol

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Dezembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031