Morrer

“Vou-lhe explicar uma coisa – O que é triste é morrermos da morte de um outro. Quer dizer: cada qual tem a sua própria morte, única e exclusiva como a vida. Esse é o momento final que nos está destinado. Mas, às vezes, uma outra morte, por engano, cruza connosco. Assim é que é triste morrer.”

Mia Couto em Vinte e Zinco

Guerra vs. Paz

“A diferença entre a guerra e a paz é a seguinte: na Guerra, os pobres são os primeiros a serem mortos; na Paz, os pobres são os primeiros a morrer. Para nós, mulheres, há ainda uma outra diferença: na Guerra, passamos a ser violadas por quem não conhecemos”

Mia Couto in “Mulheres de Cinza”

Fardas

 É para isso que servem as fardas: para afastar o soldado da sua humanidade

Mia Couto in “Mulheres de Cinza”

Vinganças

“Quem congemina vinganças acredita antecipar-se ao futuro. É um logro: o vingador vive apenas num tempo que já foi. O vingador não age apenas em nome de quem já morreu. Ele próprio já morreu. Foi morto pelo passado”

Mia Couto in “Mulheres de Cinza”

Espelho? qual espelho?

“Sorte a dos que, deixando de ser humanos, se tornam feras. Infelizes os que matam a mando de outros e mais infelizes ainda os que matam sem ser a mando de ninguém. Desgraçados, enfim, os que, depois de matar, se olham no espelho e ainda acreditam serem pessoas”

Mia Couto in Mulheres de Cinza